viernes, 3 de diciembre de 2010

PARAGUÁI PODERÁ TER LEI PARA AS LINGUAS



ATENEO DE LENGUA Y CULTURA GUARANI
Maitei opavavépe
David Galeano Olivera

IDENTIDADES
PARAGUÁI PODERÁ TER LEI PARA AS LINGUAS
Publicado por Guata (Brasil)
Leer (hacer clic) en: http://cid-abd38f7ef1c8daa6.spaces.live.com/blog/cns!ABD38F7EF1C8DAA6!1116.entry

Congresso poderá votar medida que defende o guarani e os idiomas indígenas.
O congresso paraguaio poderá votar nos próximos dias, o chamado projeto “Lei de Línguas”, que pretende estabelecer mecanismos legais para o uso do idioma guarani como língua oficial do Paraguai, ao lado espanhol. O movimento em defesa da iniciativa entende que até hoje, o país não atendeu a um preceito constitucional de 1992, que considera oficial os dois sistemas lingüísticos.
Se for aprovado, as instituições, os órgãos do governo e a sociedade paraguaia poderão se expressar, inclusive formalmente, na língua dos povos originários do país vizinho. A “Lei de Línguas” irá disciplinar temas importantes para os falantes paraguaios, com o direito lingüístico, o uso público das línguas, inclusive na educação e a organização de políticas lingüísticas. Além disso, o projeto orienta para a criação da Academia da Língua Guarani.
Os defensores do projeto entendem que sem a lei, vive-se uma situação de reconhecimento apenas simbólico do pluriculturalismo e do bilingüismo paraguaio. Com isso, ficam desprotegidos tanto o idioma guarani como as línguas indígenas.
O projeto que garantirá a universalização do uso do guarani é uma das reivindicações mais aguardadas, para marcar o Bicentenário da Independência do Paraguai, que irá acontecer em 2011. No início deste ano, diversos segmentos sociais se uniram para lançar a “Campanha pela Promulgação da Lei de Línguas”, que conquistou a adesão da maioria da população, de entidades ligadas à educação e à cultura e organismos do governo paraguaio.
Para aprovar o projeto “Lei de Línguas”, o congresso já dispõe de pareceres favoráveis das comissões de Educação, Cultura e Orçamento, que recomendam a aprovação da medida.